18.7.10

PERCEPÇÃO AFINADA!

"não da para distinguir entre ilusão e percepção"
esse é outro pensamento genial de maturana!

se não fosse assim não haveria equivoco, a cada erro de percepção seriamos chamados de mentirosos, mas há sim a possibilidade de acharmos que algo é de um modo que depois podemos até constatar que nos iludimos, então nosso erro não será uma mentira e sim um equivoco.
só quando sabemos que algo não é do jeito que falamos que é considerado uma mentira.

e porque nossa percepção pode ser ilusória?
porque depende da experiência de cada um, da experiência que já tivemos ou da que ainda não tivemos.

quando vivemos uma nova experiência, nossa percepção sobre algo vivido pode mudar e compreendemos o mundo de outra maneira.

em nossas relações estamos sempre oferecendo ou pedindo uma explicação para nos entendermos.

porem a explicação não depende de quem explica, mas de quem escuta!

se eu explicar para uma criança de 4 anos que vou até o banheiro e já volto, ela irá compreender o meu desaparecimento, porque para o outro é isso que acontece, alguém está no seu campo de visão e desaparece, mas por causa das experiências de uma criança de 4 anos ela aceita a explicação que fui ao banheiro e já voltarei.
a explicação é aceita!

se eu dou a mesma explicação a um bebê ela não será valida, pois suas experiências não sustentam minha explicação, para o bebê eu simplesmente desapareço, e a explicação não é aceita!

isso nos faz entender o porque não é tão simples nos fazer compreender, assim como compreender o ponto de vista dos outros, pois compreender a explicação do outro depende das experiências que cada um teve ao longo da vida, em outras palavras cada um de nós temos nosso mundo-próprio!!!

paradoxalmente, quanto mais compreendemos e investimos em nosso mundo-próprio, melhor será nossa comunicação com o outro.
é a experiência de sentir, viver, perceber minha singularidade, que me faz compreender que o outro tem suas próprias experiências, e por isso fica mais acessível minha abertura para aceitar a explicação do outro, pois sei que está falando baseado em uma experiência própria e por isso não entro em combate com isso, e sim ganho o que se chama de "aprender com a experiência do outro".

não deixo de ter o meu ponto de vista, baseado em minha experiências, mas sei que o que estou ouvindo do outro é o seu ponto de vista e não uma afronta a minha percepção, e assim todos ganham um aumento de percepção, a minha visão + a visão do outro = diálogo.

voltando aos bebês e as crianças, se meu mundo-próprio adulto está desenvolvido, ouço, sinto e compreendo que aquela criança está me mostrando seu mundo-próprio e magicamente aparece um lugar no tempo e no espaço onde posso compreender e criar a explicação que aquela criança é capaz de aceitar, não preciso nem adivinhar ou ser uma especialista em pensamentos de crianças, só preciso escuta-la e ela me dirá qual explicação será aceita ou necessária para ela.

minha amiga mirella postou uma questão no post anterior, e acho que é por ai a busca da desintoxicação que podemos fazer para sairmos do vicio do disfarce, conhecer nosso mundo-próprio, nossa biologia, nossa anatomia.
liberar o corpo do controle da mente; o corpo sente, pensa, deseja; dar credibilidade, não desqualificar esse acontecimento; permitir que a mente cumpra seu papel brilhante de servir ao corpo e fazer acontecer seu desejo de vida; ao invés de exigir da mente a condição de vigiar, julgar e até punir o corpo caso ele tenha o atrevimento de desejar o que não está pré estabelecido.

é só olharmos nossos bebês para ter a certeza que o corpo sabe o que faz e o que pode; a mente é que ainda não tem ideia do que pode um corpo.

esse é um caminho de refinamento das percepções (que pertencem ao corpo) para que cada vez menos vivamos nas ilusões da mente.

5 comentários:

Raquel Marques disse...

Estou tentando investir em meus impulsos (sempre tão inconvenientes), meus sonhos e meu coração.
Confesso que é como se lançar ao mundo, de uma enorme altura, sem rede de proteção.
Vida financeira desequilibrada, novos trabalhos necessários e eu, escolhendo o que fazer, seguindo um caminho estranho e sinuoso, que só existe com força dentro de fim.
Sinceramente, acho que pirei.
bjs

Bianca Lopresti disse...

Por muitas vezes assisto meu corpo reagir em determinadas situações. é lindo, ele sabe tudo. precisamos nos observar!

As respostas estão dentro de você. Basta um auto-conhecimento para perceber!

Beijos
Bianca Lopresti

Andre disse...

Aprender é a base. Entender amplia a visão. Compreender refina o ouvir. Amar refina o respirar.
O respirar ensina a aprender...
A primeira vez que li algo a respeito da ilusão dos sentidos achei loco. hoje com esse texto consigo enxergar outra maneira, agora com meus 3 filhos.
Ai, ai a experiência de vida!!!

Andre disse...

completando: aprender refina o toque.

Saúde Postural e Bem estar disse...

http://andretannus.blogspot.com/2010/08/yoga-do-cotidiano-little-wing-o-texto.html

Algo que eu havia escrito e não dado muita importância naquela época de práticas e vislumbres em 2004.