25.8.10

GENERALIDADES!

na época da escola meu maior desejo era ser inteligente.
achava que uma boa maneira de ser inteligente seria tornando-me uma especialista.

mas a vida nunca me levou para a especialidade, como também nunca permitiu sentir-me inteligente.

inclusive quando decidi me aperfeiçoar em um curso de formação de três anos, em londres, logo me dei conta que entrei em uma formação especialista em generalidades.

e assim tornei-me uma generalista.

não tenho nada contra a inteligencia e a especialidade, mas cada vez mais sinto ser um presente a ausência de ambas na minha vida, talvez por eu ter escutado que quando a inteligencia se destaca de um lado, alguma coisa fica esquecida do outro...

provavelmente os responsáveis pelo sistema educacional no brasil sejam pessoas muito inteligentes, cheias de títulos academicos, que escrevem e falam muito bem, elaboram currículos, compartimentam o ensino, determinam as horas de aprendizagem, antecipam a idade da alfabetização, adoram uma avaliação...

mas para o meu olhar de generalista essas pessoas que estão a frente da educação estão tão ocupadas em serem inteligentes que lhes faltam a capacidade de perceber se a educação, da maneira que está sendo praticada, é boa para a vida ou não.

ensinar para a criança determinadas matérias pode ser uma coisa inteligente, mas permitir que uma criança continue a construir-se a si mesma potentemente é coisa para sábios.

ensinar uma criança a se comportar socialmente é inteligente, mas para confiar na capacidade de observação e percepção da criança, é necessária muita sabedoria.

saber é sentir, saborear, sentir o sabor.

os bebês colocam tudo na boca, querem conhecer o sabor de tudo, saboreiam a vida, estão abertos para o saber.

antes mesmo de terem desenvolvido a inteligencia, aprendem tudo que querem aprender.

então me pergunto:

e se esses bebês, que logo se tornam crianças, não fossem atrapalhados no desenvolvimento de sua sapiência?

e se os inteligentes permitissem serem inspirados pelos saberes das crianças?

e se a sabedoria for o outro lado esquecido da inteligência?

os generalistas são assim mesmo, se metem a questionar a inteligencia e a especialidade.

e hoje rodeada de bebês e crianças, me sinto assim, sábia!

2 comentários:

rita brant disse...

A criança que está ao lado também está dentro da gente. É só manter contato com este nosso lado.
Adoro te ler.
Bjs da Rita

Pacotinho (s) disse...

minha mestra generalista de especialidade materna!
:O)
um beijo
xx
Ale