15.9.13

NO MEIO DO MATO!


me mudei para um sitio, no meio do mato

sem internet, sem tv e sinal bem restrito de celular

na verdade, tenho internet no centro da cidade a 7km

tem tv na casa de minha mãe, que é vizinha

e se eu subir no morro, consigo um pouco de sinal no celular

mas tem sido muito bom, nesse momento, restringir todos esses acessos

assim tenho tempo para muitas coisas que considero essenciais para o processo que estou vivendo

para minhas filhas tem sido incrivel, brincam o tempo todo e ficam conectadas com seus desejos potenciais sem distrações

ainda vou muito a são paulo, um ou dois dias da semana, pois estamos em transição com alguns compromissos, e o contraste fica obvio, eu com menos tempo e as meninas mais distraidas

mas aproveitamos para viver o melhor da cidade e assim fomos a exposição de sebastião salgado, genesis, que está no sesc belenzinho

genesis é o retrato da natureza intocada pela civilização

da natureza humana inclusive

pelas fotos, fica claro que as tribos que vivem a parte de nossa civilização, criaram seus processos sociais, não são selvagens

desenvolveram crenças, habitos, costumes, criando uma rede fechada onde é possivel reconhecer a pessoa como parte integrante de uma comunidade

para mim o grande merito é a harmonia com que essas tribos vivem com a natureza

tenho acreditado que para nós, filhos da revolução industrial, o caminho de volta a harmonia com a natureza, inclusive a humana, não seria buscar tribos para nos inserirmos, nem negar toda tecnologia, costumes e habitos que adquirimos com nosso modo de vida

mas sebastião salgado nos inspira a perceber que o contato direto com a natureza, inclusive a humana, nos transforma por conta de sua força facilmente observavel

regenerar uma terra, plantar, colher e comer, contemplar a beleza da paisagem, sentir o cheiro, o silencio, os sons...são experiencias que rapidamente nos conectam com a natureza, inclusive a humana

e não precisamos parar por aí, podemos viver com a natureza de um modo criativo, artistico, sensível...

as vezes eu escuto pessoas dizendo que o ser humano não tem mais jeito, por suas ações insanas, por suas necessidades futeis, por sua ilusão com o poder, por sua impotencia...

mas do mesmo modo que se ve uma terra devastada recuperada com cuidados basicos, o ser humano também reencontra sua natureza potente e a favor da vida quando transmuta seu modo de pensar, sentir e agir a vida

a vida está aí, abundantemente oferecida com todas as condições de ser vivida em plenitude

sem objetivo pre determinado

não precisamos alcançar nada, chegar a lugar nenhum, basta sermos

o que devolvemos ao viver a vida, é sempre inedito, é sempre uma surpresa

não creio que para nós o caminho seja voltar a viver em tribo para educar um filho, como diz o ditado

na altura do campeonato, seria algo caricato

talvez possamos aproveitar o desvio que já foi tomado e criar a independencia

independencia das instituições, dos habitos, da acomodação, do pre determinado, do controle, das garantias, dos sonhos dos outros

o grande paradoxo é que quanto mais independente, quanto mais auto sustentavel, mais disponiveis nos tornamos para verdadeiramente nos encontrarmos com o outro

as fotos de sebastião me enchem os olhos de alegria e me aquecem o coração

a vida no meio do mato me inspira uma vida livre e ousada

viva a independencia, salve os encontros!








11 comentários:

kivas Arquitetura disse...

abraço forte

Nine disse...

Que ótima notícia! Já se mudaram,então! Eu ainda estou na fase do planejamento, e me preparando para a mudança que farei...um novo amanhã se descortina e vc sempre me inspira! Um grande beijo para vc e sua família! Que sejam sempre abençoados os seus caminhos! Nine

Clarissa Homsi disse...

Que incrível esse texto Ana! Obrigada! Viver sem objetivo pre determinado, sem (buscar/depender de) garantias, sem controle é libertador! Também sinto essa quebra de ritmo ao ir semanalmente a Sao Paulo, e ainda estou me adaptando a ter tanto tempo e a evitar planejar loucamente o futuro. Esse seu texto veio a calhar junto com o 2o texto do Amar e Brincar que finalmente comecei. Espero te rever logo. beijo. Clarissa

Cesar Betioli disse...

A exposição de Sebastião Salgado é incrível. Realmente mostra que o natural é o real e verdadeiro. Impactante. Simples e impactante. PArabéns pela mudança. A sociedade nos impoe, desde criança, especialmente na escola, a preenche um vazio dentro de nós, que é o vazio do estar/ser. Aquele vazio que não tem que ser preenchido. É um vazio que preenchemos com os padrões. Se preenchermos com os padrões, simplesmente deixamos de sentir esse vazio, que é o vazio que tem que ficar vazio. É o vazio que vai receber aquilo que é novo. Aquilo que é um mistério. Aquilo que não conhecemos. Essas mudanças abrem novamente esse vazio e nos faz repensar e resentir o novo! Parabéns pelo processo!!!!

Livi disse...

Incrível seu texto! Moro em Toronto e tenho duas filhas, 4 e 2. Ultimamente tenho pensado muito em sair desse stress louco que vivemos na cidade grande, em busca de uma vida menos complicada. Coragem ainda não tive.

Visitei a exposição de Sebastião Salgado aqui e saí de lá muito inspirada. Me fez pensar nas minhas prioridades.

Fiquei envolvida, vou acompanhar seu blog. :-)

joelle disse...

estou ouvidendo seu vidéo onde vc fala de seu processe, ainda estou com muito felicidade de seu processe, de seu pensamente O processe com seu crianças... e a ligaçao com a tecnica
obrigada Ana estou orgolhosa de conhecer uma pessoa com vc
gosto muito de seguir seu caminho
bj Joelle

Luíza Diener disse...

que lindo texto! tão sincero, tão poético!
você me ensina tanto e nem sabe.

um beijão!

Ana Thomaz disse...

grata por todas as menagens!!!
nosso espaço em Piracaia está aberto para visitas, encontros, vivencias...
beijos

LUIZA SOUSA disse...

Que seja cheio de aprendizados e potências a nova vida no meio do mato! Não te conhecia até ver o vídeo sobre a desescolarização no blog Papo de Homem. Já assistir umas cinco vezes e recomendei para muita gente. Você, mesmo indiretamente, ajudou a mudar meu modo de ver a vida. Faz mais vídeo falando sobre a potência, desescolarização, potência, filhos, maternidade, autoconhecimento, das coisas bonitas que nos inspiram! Bjão

RafaCarol disse...

Ana,
Meu nome é Rafaela, sou aluna de Ciências Sociais e tenho bastante curiosidade nesse assunto de desescolarização. Gostaria de saber se posso entrar em contato com você? meu email é: rafaelacarolinne@gmail.com

simplesmentefluir disse...

Ana,

Tudo de bom pra você e sua família, no seu novo espaço.

Grande abraço!