12.10.14

CONGRESSOS E SUAS CONTRADIÇÕES

é o que estamos vivendo, cheios de contradições
porque já sabemos o bastante
já queremos uma mudança
mas como sempre aprendemos a partir de uma separação
onde a mente é quem aprende, desconectada com o todo
estamos vivendo essa confusão 
a mente aprendeu mas a emoção não acompanhou e assim criamos um desalinhamento do ser

nossa ação depende de nossaS emoções
não depende do nosso conhecimento
por isso estamos vivendo essa briga interna
algo em nós quer mudar e outro algo em nós não sabe como mudar

estamos estagnados pelo medo, essa é uma das emoções que nos paralisa

precisamos nos reconectar com o todo
trabalhar para a liberação de nossas emoções estagnadas
deixar a mente fazer parte do nosso corpo (e não do corpo do conhecimento fora de nós) 
para que a mente se reconecte com as emoções, o instinto, a intuição…
que faça parte do todo

foi isso que senti fortemente no 
IV Congresso Internacional sobre Educação sem Escola, Autoaprendizagem Colaborativo, Educação em Família, Modelos de Escola Flexíveis
que aconteceu entre os dia 2,3 e 4 de outubro de 2014
na Universidade Nacional de Colombia em Bogotá

foram 2.500 inscritos para um auditório de 500 lugares, onde foram acomodadas umas 750 pessoas
mais de 40 palestrantes com diversas experiências e saberes sobre o assunto
testemunhando que a necessidade desse movimento está por todo lado

porem o congresso aconteceu nos moldes mais acadêmicos possíveis
cada palestrante tinha 10 minutos para ler sua fala
não havia interação direta entre palestrante e publico

e contraditoriamente todos falando da necessidade de mudanças, principalmente da nossa falta de capacidade de aceitar o desconhecido, o inédito, o novo
porem os anseios continuam sendo pelo controle, pelo saber, pelas referencias, pelas garantias…
estamos quase todos nessa

queremos mudar, mas temos medo
porque mudar não é melhorar o que já está
mudar é partir de um outro paradigma
ter novas questões 
sentir uma confiança inédita 
onde a ação não depende de garantias
mas de presença e lucidez
percepção e fluxo

diria que antes de mais nada voltar ao todo
ao ser completo que somos e que desmembramos no nosso modo de vida
e deixar agir em nós esses desconhecido
que nada mais é que o reencontro com nosso ser por inteiro

as experiências tocantes do congresso foram as partilhas de famílias e pequenas comunidades que estão vivendo outros modos de vida
foram as experiências pequenas que geraram impacto 
porque a mudança está em cada um de nós que pode gerar um novo modo de ser
já sabemos que não é preciso esperar a mudança vir de fora
esperar que a sociedade mude
que as escolas mudem

a transmutação precisa ser feita em cada um de nós
e assim acontece a grande revolução, a grande evolução 

sim, o congresso foi muito inspirador
pois foi tudo muito explicito 

é mais impactante fazer uma ação transformadora em si mesmo que certamente ira reverberar por todos em volta
do que muitos discursos públicos

ha que praticar no dia a dia da vida



6 comentários:

chica disse...

Oi Ana,

Seu texto caiu perfeitamente para mim, que há dias penso em você e não sei como me aproximar...

Concordo totalmente com vc!
Me saturei de tanto conhecimento sem atuação real, verdadeira na mesma quantidade e vibração.

Para vc ter uma ideia sou pós-doutora em comunicação trabalhava na academia mas senti, e bem forte, com as emoções mais variadas que eu estava inspirando informação e conhecimento muito mais que expirando prática, experiência, vivência, conexão, harmonia, presença, diferença...
Por isso larguei todo o formalismo, as velhas tradições e instituições e estou fazendo meu caminho alternativo.

Criei um congresso totalmente autônomo, onde as pessoas possam inspirar sim um tipo de saber e conhecimento, mas mais que isso também, experiências, vivências, depoimentos, e não se sentir sozinha para encontrar o seu próprio jeito de expirar pelo mundo.

Respirar, viver, aprender organicamente, para que o mundo seja mais consciente e os adultos e crianças mais felizes.

POR FAVOR! Seria uma honra se você participasse e compartilhasse sua deliciosa boa energia com agente.

Para se inscrever e conhecer mais mais:
http://1conedi.com.br/inscreva-se

E eu vou te mandar uma msg no face para que possa me passar seu e-mail e eu te contar mais sobre como vc é importante para mim e para esse processo do congresso sem instituições.

Grata! Um super feliz dia das crianças para vc e os seus!

Bjs
Kel

AngeloMundy disse...


que praticar
a vida no dia a dia da vida.
há vida.

Ana, lembrei da Conane! Apesar de muitos relatos preciosíssimos, a mudança de lugar para aquele auditório (parece que foi meio de última hora) fez com que aquela conferência super especial se tornasse também acadêmica. Principalmente pelo espaço e pelo formato de apresentação - um auditório, frente-frente, microfones.
E isso abriu espaço para a magia de vocês, naquela mesa sobre a desescolarização e a educação livre, desconstruindo a forma exterior pela própria grandeza interior, seguida pelo batuque! Nunca vou esquecer a Terezita emocionada, dançando junto com a galera toda, vendo a cirando passar com aquele batuque, e de repente aquilo já não era mais um auditório.
Depois da fala de vocês, vi mais rodas de conversa, paralelas ao evento, tomarem um espaço cada vez maior e mais importante ali naquele encontro.
saudades.
beijos

rato disse...

pois é, estive lá e concordo com muita coisa. mas de tudo tiramos o positivo, como você mesma disse lá na sua fala no final do congresso, o negativo não existe, ou como diz o poeta Pessoa, tudo vale a pena se alma não é pequena. Hoje é domingo, e dentro de dois domingo teremos novamente uma eleição. e penso que tem tudo a ver com este teu relato sobre o congresso.

http://www.americalatindo.blogspot.mx/2014/10/eleitores-de-todo-o-brasil-uni-vos.html

Rô Rezende disse...

E seu post me fez tanto sentido, me sinto com tantas ferramentas para fazer diferente, mas quando a emoção vem mais forte, de nada adianta, porque as emoções ainda não continuam aqui, presas, estagnadas... e eu sigo tentando encontrar uma forma de liberá-las, de aprender com elas, de criar com elas...

grata, Ana.

Mariana Maffeis Feola disse...

Cara

Eu te saúdo! Agora também com duas meninas interagindo lindamente e me instruindo muito, a todo instante.

Nós te saudamos!

Carinho
Mariana

Marta disse...

Vc é inspiradora! Um beijo com carinho
Marta