11.4.16

TRANSFORMAÇÃO SATURADA!

a transformação está em toda parte o tempo todo

transformações diárias dos processos celulares dos nossos corpos assim como a transformação constante de tudo que está na terra

ciclicamente essas transformações chegam a um momento de saturação e isso gera uma mudança de camada, como se um portal se abrisse, como se uma outra dimensão fosse alcançada, um processo de morte e renascimento

então surge a sensação de estarmos vivendo uma grande transformação, muito além das transformações cotidianas

talvez seja uma mudança de era...

muitas coisas começam a ficar claras, muitas certezas começam a ruir e as verdades se apresentam cheias de duvidas

vejo por toda parte pessoas tomadas por um enorme desejo de agir, de mudar, de questionar, de brigar, de lutar, de viver intensamente e até de desistir de tudo; onde as crenças e a força de vida se misturam e se confundem, embaralhando as percepções e criando um grande caos interno com muita confusão mental e emocional

então surge o sentimento de impotência para transmutar, permeado pelo medo da mudança, pela insegurança do desconhecido, por crenças e hábitos

para essa transformação se sustentar é necessário uma reestruturação de base, despertando a legitimidade e a incondicionalidade de cada existência

sem isso, todo investimento das energias continuarão a sustentar e criar instituições educacionais, religiosas, burocráticas, políticas, capitalistas, médicas, militares...para que elas legitimem, determinem, ofereçam garantias e assumam as responsabilidades das quais ainda não tivemos coragem de assumir

precisamos reconstruir a sensação forte e clara de que somos legítimos e incondicionais, reconhecer que depois de um longo percurso já vivido pela humanidade, podemos gerar um acesso direto a uma força que cria e sustenta a vida e que já existe em cada um de nós

com essa conexão, cada um torna-se capaz de construir uma vida conectada a seus desígnios e propósitos, a confiar na vida e se responsabilizar por suas emoções, suas ações, suas percepções e todas suas relações

deixando assim de iludir-se com a busca insana e ilusória de uma vida feliz e reconhecer a grande alegria de viver na construção de cada um de nós como obra de arte viva

2 comentários:

Julia Pignalosa disse...

todas as células trabalham
juntas vão tecendo o grande sim

escutar
aprender
consoar

jú xerez disse...

Obrigada, Ana! Sinto essa morte e Renascimento vivos em mim hj. Teu texto me inspira e me consola. Não estou sozinha nessa busca, nem isso é um devaneio, é real. Gratidão :)